Análise: Apagões estão mais frequentes e devem aumentar

Um novo apagão atingiu o país. Nove Estados do Nordeste e parte do Norte tiveram interrompido o fornecimento de energia a partir da 0h14 de sexta-feira (27). Trata-se da terceira interrupção em menos de 30 dias, sendo o Nordeste atingido pela segunda vez no período.

Os apagões estão se tornando frequentes e, considerando a sazonalidade, a quantidade e a frequência das ocorrências, tendem a aumentar.

Na contabilidade de desligamentos de outubro estão duas ocorrências em Brasília e uma interrupção que atingiu cidades do Sul, do Sudeste, do Centro-Oeste e do Norte, devido a um incêndio em transformador da subestação de Furnas, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Ainda, em 22 de setembro, 11 Estados das regiões Norte e Nordeste ficaram por 30 minutos sem energia.

Os recentes apagões, em diferentes localidades, evidenciam problemas na transmissão e na distribuição.

Os leilões de energia, ao comercializar empreendimentos de geração em regiões distantes dos grandes centros, contribuem para a construção de linhas de transmissão longas e, consequentemente, difíceis de serem gerenciadas e mantidas.

Tal fato, associado a uma fiscalização insuficiente do setor, levou à inadequação dos investimentos em manutenção, motivada pela dúvida sobre o destino das concessões do setor elétrico.

 

Agora, com a nova MP do setor, que usa a renovação das concessões como instrumento para a modicidade tarifária, receia-se que a tarifa, cujo cálculo está a cargo da Aneel, não assegure remuneração adequada às empresas, prejudicando os investimentos em expansão, modernização e manutenção das redes de transmissão e distribuição.

Para garantir a confiabilidade do sistema, o governo deveria incentivar o aumento da cogeração, além de maiores estímulos à inserção do smart grid (transformação da rede elétrica em rede inteligente) na distribuição.

Apesar de tais eventos terem sido inicialmente tratados como fatos pontuais, o ministro interino de Minas e Energia admitiu que "eventos como esses não são normais e a coincidência então é que é mais anormal ainda". Dessa forma, a robustez e segurança do sistema elétrico brasileiro entram em xeque.

 

Fonte: Folha S.Paulo

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!