Papa reconhece 'virtudes heroicas' de Paulo VI, 1º passo para a santidade

 

Cidade do Vaticano, 20 dez (EFE).- O papa Bento XVI reconheceu nesta quinta-feira as 'virtudes heroicas' do papa Paulo VI (1897-1978), primeiro passo para a santidade, informou o Vaticano.

O papa autorizou a Congregação para a Causa dos Santos que promulgasse o decreto pelo qual se reconhecem as 'virtudes heroicas' de Paulo VI, ao que a partir de agora se lhe outorga o título de 'venerável', durante a audiência que concedeu ao prefeito regional de tal congregação, o cardeal Angelo Amato.

No dia 10 de dezembro, os cardeais e bispos dessa congregação aprovaram a 'positio', o dossiê que recolhe toda a documentação sobre o processo de beatificação de Giovanni Battista Montini, o italiano nascido no povoado de Concesio (Brescia, norte) em 26 de setembro de 1897, que foi eleito papa em 21 de junho de 1963 após a morte de João XXIII e governou a Igreja até o dia 5 de agosto de 1978.

Paulo VI nomeou Joseph Ratzinger, o atual papa, em 1977 arcebispo de Munique (Alemanha) e cardeal.

Após o reconhecimento das 'virtudes heroicas', falta a aprovação de um milagre para que possa ser beatificado.

Ao postulador da causa, o sacerdote italiano Antonio Marrazzo, já lhe chegaram vários supostos milagres por intercessão do papa Paulo VI.

Um é a cura de um feto ocorrido há 16 anos na Califórnia (EUA). Segundo os médicos, o feto apresentava danos cerebrais irreversíveis e aconselharam à mãe que o abortasse, mas esta decidiu seguir adiante com a gestação, começou a rezar a Paulo VI e a criança nasceu saudável.

Outro suposto milagre é de uma freira que sofria de câncer incurável e se curou de maneira inexplicável para a ciência.

Segundo alguns meios de imprensa italianos, não se descarta que o papa Paulo VI possa ser elevado já à glória dos altares no final do ano de 2013, quando Bento XVI encerra o Ano da Fé, aberto no mês passado de outubro no 50º aniversário do Concílio Vaticano II.

Grupos tradicionalistas católicos já expressaram sua contrariedade à beatificação do papa Paulo VI, a quem acusam de ser o 'culpado' da situação atual da Igreja, derivada da 'abertura' do concílio que mudou a face da Igreja e a impulsionou para o terceiro milênio.

Sob o Pontificado de Paulo VI foram realizadas as três últimas sessões do Concílio (de um total de quatro).

Paulo VI comandou a Igreja Católica nos difíceis anos sucessivos ao concílio e durante seu Pontificado publicou encíclicas como a 'Humanae vitae', esta sobre o controle da natalidade (proibição de métodos anticoncepcionais não naturais).

Também inaugurou as viagens pelo mundo, visitando a Terra Santa (1964), onde aconteceu o histórico encontro, com abraço fraternal incluído, com o Patriarca ortodoxo Atenagoras; Mumbai (Índia), ONU (1965), Fátima (Portugal), Istambul, Bogotá, Genebra, Uganda, Ásia Oriental e Austrália. Ele morreu no dia 6 de agosto de 1978.

G1

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!