Saiba o que muda na política externa dos EUA com Romney ou Obama

Entre os temas debatidos nesta campanha para as eleições desta terça-feira (6), que escolherão o próximo presidente dos Estados Unidos, a política externa é um dos mais importantes assuntos, acompanhado de perto pelo resto do mundo. Isso não só pelo fato de os EUA estarem envolvidos em guerras e conflitos, mas também porque qualquer atitude da grande potência tem efeitos significativos sobre os demais países do mundo e organizações internacionais.

 

Prova disso é que à política internacional foi reservado o último debate entre os candidatos democrata, Barack Obama, e republicano, Mitt Romney, no dia 22 de outubro. Segundo analistas e pesquisadores, o presidente americano saiu vitorioso do embate retórtico - e Romney acabou mais concordando com o governo atual - do que defendendo posições contrárias.

Confira abaixo as opiniões dos rivais sobre os temas importantes na política externa:

 OBAMA: “O que temos feito é organizar a comunidade internacional, dizendo que Assad precisa sair. Mobilizamos sanções contra seu governo. Asseguramos que estão isolados. Oferecemos assistência humanitária, e estamos ajudando a oposição a se organizar”

“Mas em última instância, os sírios terão que determinar seu próprio futuro

ROMNEY: “O caminho certo para nós é trabalhar com nossos parceiros e com nossos próprios recursos para identificar partidos responsáveis dentro da Síria, organizá-los, coloca-los juntos em uma forma de, senão um governo, uma forma de conselho que possa liderar a Síria e assegurar que eles tenham as armas necessárias para se defender”

“Não quero ter nosso exército envolvido na Síria”

OBAMA: “Enquanto eu for presidente, o Irã não terá bomba atômica” “Nós organizamos a coalizão e as sanções mais fortes em toda a história do Irã e isso está devastando sua economia”

ROMNEY: “O Irã está à beira  da bomba nuclear” Eu estreitaria essas sanções. Eu diria que os navios que trazem petróleo iraniano não poderiam entrar em nossos portos” 

“Eu faria esforços diplomáticos para o isolamento. Eu faria questão de que [o presidente do Irã] Ahmadinejad fosse indiciado pela Convenção de Genocídio”

OBAMA: “Nós agora somos capazes de fazer uma transição de saída do Afeganistão de maneira responsável, assegurando que os afegãos assumam responsabilidade pela sua própria segurança, e que isso nos permita reconstruir alianças”

ROMNEY: “Quando eu for presidente, asseguraremos que até o fim de 2014 tiraremos as tropas[do país]”

OBAMA: “A China é tanto um adversário quanto um parceiro em potencial na comunidade internacional se seguir as regras. Então minha atitude ao chegar ao governo foi de que insistiremos para que a China jogue sob as mesmas regras que todo mundo”

ROMNEY: “Eu quero ter um ótimo relacionamento com a China. A China pode ser nossa parceira. Mas isso não significa que eles podem passar por cima de nós e roubar nossos empregos por bases injustas”

OBAMA: “Os anos 1980 telefonaram pra pedir sua política externa de volta. Porque, você sabe, a Guerra Fria acabou faz 20 anos

ROMNEY: “A Rússia é nosso inimigo geopolítico número 1

OBAMA: “Israel é um amigo verdadeiro. É o nosso maior aliado na região. E, se Israel for atacado, a América ficará com Israel

ROMNEY: “Quando eu for o presidente dos EUA, eu ficarei com Israel

Fonte: G1

 

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!